Governo Indiano muda regras da aviação e estrageiras são beneficiadas



A Índia realizou algumas mudanças significativas em sua legislação aérea. Entre elas, está a abertura total do setor ao capital estrangeiro, que agora pode deter 100% de uma companhia aérea local, porcentagem que antes não podia passar dos 49%.


A nova política também permitirá acordos de codeshare entre companhias aéreas indianas com estrangeiras, para qualquer destino no país e sem que seja necessária a aprovação do governo. Também foi estabelecido um preço fixo de US$ 37 para voos domésticos com aproximadamente uma hora de duração, o que, ao contrário de especulações sobre prejuízo, aumentará o lucros das aéreas.


“Se cada indiano da classe média comprar um tíquete por ano, no final do período teremos uma venda de mais de 350 milhões de tíquetes, número que. quando comparado aos 70 milhões vendidos entre 2014 e 2015, representará um significativo aumento”, afirmou o ministro da Aviação Civil no país, Ashok Gajapathi Raju, que ressaltou em seu Twitter (foto) que a Índia se tornará o terceiro maior marcado no setor de aviação até 2022.

As companhias aéreas na Índia transportam hoje 80 milhões de passageiros, com um crescimento de 20% ao ano.