Radares são desligados por falta de verba

Radar meteorológico que detecta e processa imagens de nuvens e fenômenos climáticos (Foto: Divulgação/FAB)

A Rede de Meteorologia da Aeronáutica (Redemet) informou no sistema de informações para pilotos que cinco estações de radares meteorológicos foram desligadas e outras seis estão inoperantes ou com funcionamento parcial.
Essa ação foi motivada por “restrições orçamentárias”, como informou a assessoria de imprensa da Aeronáutica em nota enviada ao blog Aviões em Foco. Não há previsão de quando voltarão a funcionar.
As estações desligadas estão localizadas em Santa Teresa (ES), São Roque (SP), Três Marias (MG), Pico do Couto (RJ) e Gama (DF). Já os radares fora de operação ou com algum sistema inoperante estão em Petrolina (PE), São Francisco (MG), São Luiz (MA), Tabatinga (AM), Cruzeiro do Sul (AC) e Tefé (AM).
Esses equipamentos são usados para detectar e processar imagens de nuvens e fenômenos como chuva, neve e granizo, além de prever intensidade e posições futuras. Ao todo, 23 radares meteorológicos fazem parte do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (Sisceab).
De acordo com a Aeronáutica, esses radares são ferramentas complementares e não são usados para o controle de tráfego aéreo. Além disso, o “Sisceab contra com outras fontes de informação para previsões climáticas, como imagens de satélite e estações meteorológicas de superfície”, informou a Aeronáutica.