Problemas no manche

Queda de Boeing 737-800 da FlyDubai matou 62 pessoas na Rússia (Foto: Vasily Maximov/AFP)

Um comando no manche do Boeing 737-800 da FlyDubai, que se acidentou e matou 62 pessoas em Rostov-on-Don, na Rússia, em 19 de março, é o principal elemento com que os investigadores do Interstate Aviation Committee trabalham para determinar as causas do desastre.
De acordo com o órgão russo, a análise preliminar do gravador de dados de voo (FDR) identificou que após a tripulação realizar arremetida e atingir 900 metros (2.952 pés) em relação ao solo, o avião iniciou uma descida vigorosa.
Os dados apontam um comando no manche simultâneo a uma deflexão de 5 graus do estabilizador horizontal. E apesar dos esforços dos pilotos para reverter a situação, houve o impacto com o solo a mais de 600 km/h e com o nariz da aeronave a mais de 50 graus em atitude de descida.
A investigação, porém, ainda não determinou o que provocou o comando do manche ou a mudança de configuração no estabilizador horizontal.
Além da análise dos destroços do avião, os investigadores trabalham atualmente nos dados da caixa-preta de voz (CVR) para desenhar um cenário mais amplo do acidente.