Senado analisa teto para combustível da aviação


Nesta semana o Senado Federal tem se concentrado num projeto que prevê a definição de um teto para tributos cobrados sobre combustível na aviação civil. O texto pode baixar o preço das passagens aéreas, de acordo com defensores da matéria.

Resultado de imagem para querosene aviação

A proposta que os senadores devem analisar fixa em 12% a cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no querosene e gasolina para aviões. Atualmente, a alíquota varia de 3% a 25%, dependendo do estado. O combustível é o item que mais influencia nos custos operacionais das companhias aéreas.

Resultado de imagem para Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

O autor da proposta, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que o objetivo da proposta é diminuir as distorções nos tributos aplicados pelos estados e permitir a "redução de custos" nas passagens aéreas para o consumidor.

Imagem relacionada

Ontem (7), pela segunda vez que os senadores analisaram a proposta no plenário. Em agosto, a votação do texto foi adiada após a aprovação de um requerimento para que o projeto fosse analisado pela Comissão de Infraestrutura da casa.

Resultado de imagem para Telmário Mota (PTB-RR)

Na comissão, o relator, senador Telmário Mota (PTB-RR), adicionou ao projeto um teto para o imposto cobrado também na gasolina de aviação. O texto original previa ajuste apenas sobre a querosene.

"A emenda pretende atender aos táxis aéreos de pequeno porte. A extensão desse benefício a essas aeronaves causaria um impacto relativamente pequeno na arrecadação, mas com um resultado muito relevante para as empresas que atendem voos não regulares, já que os gastos dessas empresas com combustíveis representam de 30% a 40% de seus custos totais", apontou.

Resultado de imagem para aviação


O texto também prevê que empresas aéreas deverão implantar até 31 de dezembro de 2017 um novo plano de voos nacionais e regionais, que contemple uma maior oferta a todos os estados.