Qual a importância de um HUB para Fortaleza?


O que as cidades Brasília, Lisboa e Atlanta (Estados Unidos) têm em comum? Elas possuem plataforma de distribuição de voos em seus aeroportos, conhecido como hub. Essa é a expectativa vivida por Fortaleza na disputa para a implantação do novo centro da TAM. A Capital disputa com Recife e Natal a preferência da empresa. O vencedor ganhará atratividade para novas empresas, geração de empregos, fluxo turístico e visibilidade. A decisão sairá no final do ano. 


Com a implantação do hub o número de pousos e decolagens deve subir entre 20% e 25 - com os 14 voos internacionais diários e outros 18 nacionais. Para os passageiros, isso significa mais opções de voos diretos e preços possivelmente menores. Além disso, a tendência, segundo Carlos Grotta, especialista em transporte aéreo e logística aeroportuária do Centro Paula Souza, em Guarulhos (SP), é que empresas de manutenção de aeronaves e de armazenagem de cargas sejam atraídas pelo hub. 
Mais companhias, maior a necessidade de pessoal. A TAM espera 10 mil novos empregos em toda a cadeia. Ou seja, a oportunidade é para quem trabalha no setor aéreo, mas também nas áreas impactadas -que vão desde serviço de táxi a fornecimento de alimentação. Além de postos de trabalho, isso representa oportunidade de empreender. “A plataforma demanda pessoal técnico (engenheiros e mecânicos) para o suporte das aeronaves, aumento do atendimento e recepção de passageiros e gente que atua no controle de rampa”, declara Grotta. Parte desses profissionais precisará ser formada, permitindo ingresso de gente nova no setor.
Leia Mais em: O Povo